Faturamento x lucro: você sabe a diferença?

Uma das formas mais recorrentes de investir dinheiro é abrir uma empresa. Seja pela vitória da alforria de não ter mais chefe, seja pela sensação de liberdade de cumprir os horários de trabalho da forma como quiser, ser o dono do próprio negócio é, sem dúvida, o sonho de muitos brasileiros.

Você que acabou de abrir a sua empresa, ou que está pensando em fazê-lo em breve precisa entender duas verdades incontestáveis do mundo dos negócios:

1- Abrir a própria empresa dá tanto trabalho quanto qualquer outro tipo de investimento;

2- Não basta encontrar um bom nicho de mercado, é preciso ter controle financeiro para que a empresa seja sustentável e não feche nos primeiros meses;

Esses dois pontos são fundamentais para explicar, por exemplo, como grandes empresas que tiveram muito sucesso no passado hoje já não existem mais. Por isso, é fundamental entender que, não basta vender muito ou ter muitos clientes é preciso conhecer todos os gastos da sua empresa e no final fazer as contas para saber se ela realmente gera lucro ou prejuízo.

“Não dá para administrar uma empresa sem a informação do resultado que ela gera para poder tomar decisões de comprar ou vender mais ou, por exemplo, fazer novos investimentos. Todas as empresas precisam dessa informação. Não importa se é uma pequena empresa que fatura cinco mil reais por mês ou uma grande que fatura cem mil”, afirma Paulo Felicioni, Mestre em Contabilidade e Finanças e diretor executivo da Gumz Contabilidade, de Jaraguá do Sul/SC.

Então vamos ao que interessa: Faturamento X Lucro: você sabe a diferença?

Faturamento versus lucro você sabe a diferenã

O que é faturamento?

O faturamento é o valor total que foi arrecadado por sua empresa depois de um determinado período de tempo (pode ser um dia, um mês ou um ano). Por exemplo: você tem uma loja de sapatos que vendeu em um mês, 100 sapatos por R$ 50,00. Seu faturamento naquele mês foi de R$ 5.000.

Existem dois tipos de faturamento: o bruto e o líquido. O faturamento bruto é que mostramos acima. Ele leva em consideração apenas o valor total de vendas, já o faturamento líquido leva em consideração também os impostos pagos. Então, vamos supor que a sua mesma loja de sapatos vendeu 100 sapatos por R$ 50,00 no mês (R$ 5.000), mas teve que pagar 18% de ICMS, por exemplo. Então o faturamento líquido da sua empresa neste mês foi de R$ 5.000 – 18% do ICMS, então a conta fica assim:

R$ 5.000 (total de sapatos vendidos) – R$ 900 (18% de ICMS) = R$ 4.100 (faturamento líquido)

Veja aqui as 25 empresas com o maior faturamento do mundo

Assista aqui como aumentar o faturamento da sua empresa

O que é lucro?

Agora sim, chegamos ao ponto! O lucro é o valor real que você ganhou depois que você descontou todos os impostos, despesas fixas, despesas variáveis, custos de produção e perdas daquele período de vendas.

Ou seja, o lucro é o retorno positivo de um investimento. O lucro é a razão da sua empresa existir. Se ela não tem lucro, então ela está “morta”, ou respirando por aparelhos. Isso explica porque uma empresa tem um grande volume de vendas e um alto faturamento, mas não tem nenhum lucro (ou tenha prejuízo): é porque, apesar das aparências, ela está gastando demais e deixando todo o seu faturamento ir por água abaixo.

Portanto, se você tem um faturamento de R$ 5 mil reais em um mês, para descobrir o lucro vai ter que descobrir primeiro quais são os seus gastos e contabilizá-los no seu controle de fluxo de caixa. A matemática é simples: se você fatura mais do que gasta com despesas, então você terá lucro. Se os seus gastos são maiores que o seu faturamento, então está tendo prejuízo.

Uma grande dica é sempre perguntar: “De onde veio esse dinheiro?” e “Onde esse dinheiro foi aplicado?”.  É muito interessante notar que alguns empreendedores conseguem lucrar mesmo não realizando nenhum grande investimento em tecnologia ou marketing, mas apenas cortando gastos e despesas desnecessários, por exemplo.

Então vamos supor que o faturamento da sua loja de sapatos tenha sido de R$ 5.000 no mês de Janeiro e as suas despesas totais tenham sido R$ 2.500. Nesse caso o seu lucro foi:

R$ 5.000 (faturamento) – R$ 2.500 (despesas totais) = R$ 2.500 (lucro)

No entanto, se o seu faturamento do mês de Janeiro foi de R$ 5.000, mas as suas despesas foram de R$ 5.500, você teve prejuízo:

R$ 5.000 (faturamento) – R$ 5.500 (despesas totais) – R$ – 500 (prejuízo)

Lucro Bruto X Lucro Líquido

Neste caso também temos dois tipos de lucro: o lucro bruto e o lucro líquido. Veja abaixo como obter o lucro bruto e o lucro líquido:

O lucro bruto leva em conta como custos de produção de bens ou serviços, as chamadas “despesas variáveis” que é o dinheiro gasto desde a aquisição da matéria-prima até a exposição ou venda propriamente dita do produto final, ou dos gastos necessários para realizar algum tipo de serviço. Veja a fórmula:

Lucro Bruto = Receita líquida das vendas – custo de produção dos bens ou serviços (custos variáveis)

O lucro líquido leva em conta o custo total, ou seja, tanto os custos variáveis como os custos fixos. Como custo fixo você pode considerar aqueles que não dependem da quantia de produtos produzidos: salário dos funcionários, aluguel do imóvel e IPTU, por exemplo. A fórmula ficará assim:

Lucro Líquido = Lucro bruto – imposto de renda e outras taxas 

Lucro líquido é a diferença entre a receita total e o custo total. Receita total – custo total = lucro líquido. É a diferença entre as vendas efetivas (sejam de mercadorias ou de serviços) e o total de gastos da empresa (sejam custos fixos ou custos variáveis). Isso quer dizer que, para calcular o lucro líquido, ainda é preciso descontar da receita bruta os custos com funcionários, aluguel e determinados impostos e taxas.

Existe uma série de práticas que você pode adotar no seu negócio a fim de aumentar os seus lucros. Veja algumas dicas interessantes:

  • Aumentar sua base de clientes baseado no mapeamento dos perfis deles;
  • Investir em marketing de baixo custo;
  • Abrir uma versão online do seu negócio;
  • Descontos estratégicos (evitar ofertas agressivas que comprometem os lucros);
  • Revisão de preços (veja se os seus preços estão cobrindo os seus gastos de fato);
  • Redução de gastos fixos (revise, periodicamente, os seus gastos fixos e veja se eles não estão comprometendo parte da sua margem de lucro);
  • Revisão de estoques (cuidado ao aumentar estoques de produtos com pouca saída);
  • Atenção com os prazos de pagamento (parcelas muito extensas podem ser uma vantagem apenas para o cliente);
  • Monitore os saques dos sócios (saques muito altos podem ser sinônimo de preocupação);
  • Revisão do frete grátis (muito disseminado nas vendas online, o frete grátis tem se tornado um vilão da margem de lucro. Considere oferecer outros tipos de frete para o cliente);
infografico lucros sebrae
Fonte: Sebrae

Gostou desde post? Deixe um comentário!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.