Investir do Zero ao Primeiro Milhão Mesmo Sendo Iniciante

Quando se pensa em investir do zero, temos que considerar que segundo relatório lançado pelo banco Credit Suisse, o brasil tinha apenas 207 mil pessoas consideradas milionárias (com patrimônio acima de 1 milhão de dólares) em 2020.

O número citado acima muito baixo, se compararmos a uma população de mais de 200 milhões de habitantes na mesma época.

Talvez pelo fato de o Brasil possuir estatísticas tão desanimadoras, a maioria nem mesmo começa a buscar uma vida melhor, simplesmente aceita que a realidade em que se encontra é imutável.

Porem, há algumas pessoas que buscam incessantemente uma vida melhor, por conseguinte, fazer parte da pequena parcela de milionários que este país tão rico possui.

Uma das formas de melhorar as próprias condições e mudar de patamar é através dos investimentos, mesmo ao investir do zero.

Assim, começando com pouco, no longo prazo a probabilidade de conseguir uma vida melhor para você e seus descendentes é alta, isso acontece pelo fato de os juros compostos e o tempo estarem em favor do investidor.

No artigo abaixo mostraremos maneiras de investir do zero usando as melhores estratégias para chegar ao primeiro milhão.

1. Trace seu planos

investir do zero

Antes de começar a investir é importante que saiba o que está buscando, pois esses objetivos nortearão seus investimentos.

Por exemplo, caso queira chegar ao primeiro milhão sem outras grandes ambições, como casas ou carros, seus investimentos serão direcionados somente a este fim.

Mas, se deseja comprar grandes bens e ainda sim buscar o primeiro milhão, também será necessário fazer essa divisão de caixas.

Importante dizer que os investimentos normalmente são direcionados de acordo com risco, retorno e prazo. Portanto, é necessário que avalie o quanto seus objetivos são compatíveis com o que busca e possui.

Por exemplo, uma pessoa que começa investir com 50 anos provavelmente precisará investir mais, com investimentos menos arriscados.

Porém, um jovem de 18 anos que começa investir do zero, pode se dar ao luxo de investir em ativos mais arriscados, mais rentáveis e de maior prazo.

2. Quite suas dividas

investir do zero

Normalmente, os juros das dívidas de empréstimos, cartões de crédito e cheque especial , são maiores do que a rentabilidade dos títulos disponíveis, portanto, antes de investir do zero, renegocie e quite todas as dívidas.

3. Conheça alguns conceitos básicos, mas necessários a todo investidor

investir do zero

Listamos alguns conceitos que estarão presentes em todos os investimentos, veja:

  • Liquidez: Facilidade de resgate ou transferência de um investimento. Há investimentos como contas correntes que rendem 100% do CDI, que são totalmente líquidos, ou seja, a qualquer hora do dia ou da noite, é possível retirar seu dinheiro e usá-lo. Em contra partida há outros que são pouco líquidos, como títulos em que só é possível retirar o dinheiro no vencimento. Normalmente é um dos conceitos que interfere na rentabilidade final do título.
  • Risco: Um conceito diretamente relacionado ao rendimento, normalmente o investimento que apresenta mais riscos, também apresenta mais possibilidades de rendimento. Na prática, é o risco de perda que alguns investimentos oferecem ao seu dinheiro.
  • Retorno: Quanto o investidor irá ganhar com a aplicação financeira.

4. Faça uma reserva de emergência

investir do zero

Antes de investir é necessário que o investidor tenha “cobertura” para possíveis imprevistos que ele ou sua família possam encontrar.

O fato de fazer uma boa reserva de emergência (valor suficiente para cobrir seus gastos mensais por pelo menos três meses) o deixa tranquilo tanto para investimentos de longo prazo, quanto para investimentos mais arriscados.

O mais importante para o dinheiro da reserva de emergência é estar livre de riscos e ser líquido o bastante para ser usado a qualquer momento.

Temos um artigo que se aprofunda mais neste item é importante que também leia.

5. Abra uma conta em uma corretora de valores imobiliários

investir na bolsa

Uma corretora oferece tanto mais ferramentas para investimentos que bancos comuns, quanto menores taxas, portanto, é importante que o investidor possua uma conta na corretora de sua escolha, para que consiga aproveitar o maior número de ferramentas financeiras possíveis.

6. Invista em conhecimento

economizar-dinheiro

Por ter chegado até este trecho da leitura é possível notar que você já busca conhecimento, mas é importante que se dedique um pouco mais, conheça todas as possibilidades abertas para seu dinheiro, isso fará com que tenha não só uma rentabilidade maior, como também conheça os riscos de cada aplicação.

7. Crie o hábito de investir

Ainda que comece a investir do zero, com valores baixos e sem um montante inicial, é importante que crie o hábito de investir frequentemente com os maiores valores que sua realidade permite, pois no longo prazo, pequenos valores podem se tornam grandes com ação dos juros.

Fizemos uma simulação com o intuito de mostrar a diferença que um pequeno valor (R$ 5,00) pode fazer no longo prazo, veja:

Investindo R$ 100,00 hoje e aportando mensalmente R$ 30,00 durante pouco mais de 6 anos (77 meses) no tesouro Selic 2029 você chegará a um montante final de R$ 3.750,75.

Agora com o mesmo titulo, ou seja, prazos e riscos iguais, porém com o montante inicial de R$ 105,00 e os aportes mensais de R$ 35,00 seria possível chegar a um montante final de R$ 4.349,84.

Veja a diferença que apenas cinco reais fizeram no montante final em apenas 6 anos, agora imagine o que seria essa diferença se colocarmos o investidor no foco de chegar a um milhão de reais no menor prazo possível.

8. Diversifique seus investimentos

planejamento financeiro familiar

Quando focar no item 6, verá que o mundo dos investimentos tem diversas possibilidades tanto para quem deseja investir do zero, quanto para quem já vai partir de um montante grande.

Há investimentos que são mais arriscados e, em contrapartida, oferecem a possibilidade de retornos maiores, enquanto isso, também há investimentos com poucos riscos embutidos, mas com rentabilidade inferior.

Por existir uma gama tão grande de investimentos, é que a diversificação é tão importante, portanto, faça uma auto avaliação e se encaixe em um dos seguintes perfis:

  • Conservador: investidor com baixa tolerância a risco, mas, que em contra parte aceita menor rendimento;
  • Moderado: estão dispostos a investir em produtos com maiores riscos em troca de maior rentabilidade, porém, prezam pela proteção, na prática se encaixam entre o perfil anterior e o seguinte;
  • Agressivo: buscam altas rentabilidades e convivem bem com o risco de perda no capital.

Após se encaixar em um dos perfis anteriores, divida seus investimentos de forma que se sinta confortável, mas, preze pela rentabilidade do todo.

Quando sentir que está se arriscando muito, escolha produtos mais seguros, mas à medida que se sentir mais seguro, exponha pequena parte do capital a produtos que possam oferecer uma rentabilidade maior.

Conclusão

Bolsa de Valores para iniciantes

Assim como em qualquer projeto grande que deseje iniciar, investir do zero não é fácil, leva tempo e esforço, porem, traz frutos inigualáveis se tratado com a devida importância.

A liberdade financeira e os conhecimentos obtidos no decorrer desta jornada compensarão todo o esforço que é demandado pelo investidor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.