Planejamento Financeiro Familiar: Use a Regra 50-15-35 Para Economizar

Manter o seu orçamento familiar sob controle é um desafio para muitas pessoas. Um grande erro no momento da estruturação financeira é a falta de organização e de planejamento. Sem saber o quanto gasta e o que consome, fica difícil estabelecer metas e cumprir programações.

De modo a auxiliar o orçamento pessoal e familiar, escrevemos um artigo sobre os erros cometidos no controle de gastos. Para ler, clique aqui.

Para uma vida organizada e financeiramente estável, invista em técnicas e estratégias que podem te ajudar e obter o controle sobre os seus gastos!

Esta não é uma tarefa simples e existem alguns erros e falhas que podem levar o seu planejamento ao fracasso.

Como modo de provar que esta, de fato, é uma tarefa desafiadora, apresento dados de maio de 2016 da Confederação Nacional de Comércio, Bens, Serviços e Turismo (CNC). Estes números mostram que 58,7% das famílias brasileiras estão endividadas.

planejamento financeiro familiar
(Fonte: http://cnc.org.br/sites/default/files/arquivos/analise_peic_maio_2016.pdf)

Quer mudar a sua vida financeira e começar a juntar mais dinheiro, mas não sabe por onde começar? A regra 50-15-35 te ajuda a mudar o jeito como você economiza e organiza as suas finanças!

Quero mudar: o que faço?

planejamento financeiro familiar

Em primeiro lugar, você precisa saber o que está sendo gasto em cada categoria do seu consumo familiar. Quais são as quantias destinadas para as diversas atividades. Além disso, é essencial saber qual o seu estilo de vida e quais são os sacrifícios viáveis e coloca-los em prática!

Uma vez identificados tais elementos, é possível saber qual a quantia que poderá ser destinada à sua reserva financeira, qual está comprometida com gastos fixos (aluguel, água, energia…) e qual valor será reservado para consumos cotidianos.

Quero saber o quanto eu gasto com cada coisa

Esse é o mote principal da regra 50-15-35: dividir, percentualmente, qual quantidade do seu salário será dedicada a cada uma das suas categorias de gastos.

Para colocá-la em prática, basta dividir as suas despesas em três grupos de categorias e direcionar um percentual da sua renda para cada uma das atividades descritas.

  • 50% para gastos essenciais;
  • 15% para prioridades financeiras; e
  • 35% para custos relacionados ao seu estilo de vida.

A divisão e o fato de metas serem estipuladas te auxiliarão na hora de controlar os seus gastos e identificar que categorias que estão sugando um percentual alto do seu dinheiro.

1# 50% para os seus gastos essenciais:

planejamento financeiro familiar

Despesas como aluguel, energia, transporte, supermercado, remédios, médico, hospital, água, escola, alimentação e etc. entram na categoria definida como “gastos essenciais”.

Esta categoria engloba tudo aquilo que é indispensável para que o indivíduo possa se manter no dia-a-dia e atividades que não podem ser negligenciadas ou excluídas do planejamento financeiro.

Metade do seu salário líquido, ou seja, 50% do dinheiro recebido, será dedicado a este tipo de gasto: os essenciais.

2. 15% para prioridades financeiras:

planejamento financeiro familiar

O próximo passo é direcionar 15% da sua renda para as prioridades financeiras. Dentro desse cenário, existem duas possibilidades de formas para prosseguir:

2.1 Você está endividado:

Na circunstância de você apresentar dívidas, a sua prioridade será quitá-las! Use essa quantia para pagar os débitos contraídos para regularizar a sua vida financeira.

Se mais de 15% da sua renda for necessário para quita-las, o dinheiro deverá ser retirado do fundo estilo de vida, do qual falaremos a seguir, e gastos essenciais.

No caso deste último, a margem de corte deverá ser bem menor para não comprometer nenhuma das atividades e gastos essenciais. Por exemplo, não é possível deixar de pagar aluguel, mas é viável reduzir a conta mensal do seu telefone celular, comer em lugares mais baratos e etc.

2.2 Você está com as finanças em dia:

No caso de você estar com o orçamento regularizado sem dívidas, use estes 15% para poupar! Crie um fundo emergencial e invista em ações da bolsa, no Tesouro Direto e etc.

Esse passo é essencial para manter um padrão de vida e uma segurança financeira adequada no futuro! Portanto, mesmo que 15% pareça um percentual alto para você, tenha em mente que estamos falando da sua segurança financeira!

Estude, leia os nossos artigos e encontre quais os melhores tipos de investimentos para você e o seu perfil.

Importante: tenha em mente que aqueles que possuem dívidas podem precisar comprometer, por um tempo, pelo menos, mais do que 15% da renda líquida para equilibrar a situação financeira. O essencial aqui é se livrar das dívidas contraídas.

3. 35% para manter o estilo de vida:

planejamento financeiro familiar

Uma vez os gastos essenciais em ordem e as suas prioridades e estratégias de orçamento bem delineadas, você possui estes 35% para utilizar com atividades que são prazerosas para você e toda a sua família!

As despesas desta categoria são aquelas que não são gastos essenciais, mas são relevantes para que você se divirta e mantenha a sua saúde mental!

Podemos citar barzinhos, passeios ao parque, o cinema de domingo, salão de beleza, barbearia, compras em shopping e etc.

O importante aqui é você entender o grande segredo do negócio: as despesas dedicadas a manter o seu estilo de vida precisam vir depois dos gastos essenciais e do seu investimento! Por isso é necessário respeitar as regras e não exceder o percentual delineado para essa categoria.

Nessa situação, você está livre para gastar de forma consciente e sem carregar o sentimento de culpa.

Considerações finais

Como Investir na Bolsa de Valores

A regra dos 50-15-35 funciona perfeitamente para aqueles que precisam agregar um conjunto de regras ao seu planejamento familiar para poupar com sabedoria.

Aplique os ensinamentos e você perceberá que os frutos colhidos são muito maiores do que o sacrifício feito!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.