Renda fixa e Renda Variável: Entenda as Diferenças

Deseja começar a investir e fazer a diferença na sua vida financeira?

Para que possa fazer sua escolha entre a melhor aplicação, e para isso precisa compreender a diferença entre renda fixa e renda variável.

.Esse tipo de dúvida é bastante comum entre as pessoas que desejam iniciar nos investimentos.

A diferença entre as modalidades vai levar você a explorar os princípios da diversificação. E será necessário se aprofundar no assunto para escolher a alternativa mais adequada ao seu perfil. https://blog.genialinvestimentos.com.br/diferenca-renda-fixa-renda-variavel/

Renda Fixa

Investir em renda fixa é uma forma de fazer um empréstimo ao órgão emissor e receber por isso. 

Renda fixa é            uma forma de aplicação com valores de rendimentos definidos na contratação.

Ao investir o capital, o comprador tem o dinheiro de volta com juros acordados, sempre em datas determinadas.

A renda fixa possui duas formas de remuneração:

Prefixados: Valores da rentabilidade definidos no momento da aplicação de acordo com uma taxa anual ou valor fixo na data do vencimento.

Pós-fixados: Os títulos pós-fixados pagam de acordo a variação de algum índice. O investidor tem ciência do cálculo do retorno, mas o valor real saberá apenas quando findar o prazo.

É importante se atentar se a aplicação possui a cobertura do FGC (Fundo Garantidor de Crédito), esse fundo é uma garantia ao investidor de que receberá seus valores de volta caso o banco venha a falir.

Algumas aplicações que possuem FGC:

  • Poupança
  • LCI
  • LCA

Exemplos de aplicações em renda fixa:

  • Debêntures
  • Títulos públicos federais (Tesouro Direto)
  • Fundos de investimento em renda fixa
  • Caderneta de poupança
  • Letras de Crédito do Agronegócio (LCA)
  • Letras de Crédito Imobiliário (LCI)
  • Certificados de Depósito Bancário (CDB)

Renda Variável

Essa forma de investir não é predefinida e por isso, a renda variável fica vulnerável ás oscilações do mercado.

Exemplo de renda fixa é o mercado de ações que muda constantemente. Nessa modalidade o investidor torna-se sócio das empresas ao comprar ações dessas companhias. Os lucros são dependentes do desempenho da instituição.

Ao escolher uma ação o investidor estará optando entre situações diferentes, mas que devem ser avaliadas.

Renda variável e os fundos imobiliários

Dentro da diversificação dos investimentos em renda fixa há a opção dos fundos imobiliários.

Funciona da seguinte forma:

O investidor adquire cota de um imóvel para lucrar com o aluguel.

A variação gira em torno das receitas recebidas com os inquilinos.

As principais diferenças entre renda fixa e renda variável

As diferenças estão na formação dos preços, a forma de rentabilidade e mercados.

  • Aplicações de renda variável:
  • Forex
  • Fundos imobiliários
  • Derivativos
  • Ações
  • Fundo de ações

Diversifique!

Diversificar o seu investimento de forma estratégica é uma maneira que o investidor utiliza para diversificar de forma equilibrada e reduzindo riscos.

Quando um ativo oscilar o outro compensa. Claro que estamos falando de riscos de investimentos, então nunca teremos uma compensação exata. A diversificação é exatamente uma estratégia para minimizar as perdas.

Se você investir tudo em uma única ação, pode ser que perca tudo. Porém, se dividir os valores, e nessa mesma ação houver perdas, não será tão impactado negativamente.

Renda fixa ou variável?

Na verdade é um erro achar que tem que escolher. Dentro da ideia da diversificação pode optar por investir um pouco em cada uma dessas opções.

 Dentro da renda variável o leque de opções é amplo, mas se dividir seus investimentos entre renda fixa e renda variável, começa por aí a sua diversificação.

Perfil do investidor

Investir requer conhecimento sobre o que está fazendo. Também requer conhecimentos sobre o seu próprio perfil de investidor. Nos sites das corretoras é possível fazer uma análise de perfil (saiba mais: https://www.bussoladoinvestidor.com.br/teste-perfil-de-investidor/)

Perfil conservador

São pessoas que prezam pelo longo prazo. Evitam riscos elevados e não se atraem por ideias de muitos ganhos se isso significar riscos não calculados.

Os apegados a poupança são os conservadores, mas também investem do Tesouro direto, CDB e RDB, por exemplo.

Perfil moderado

São pessoas que gosta do mercado de ações, e montam uma carteira bem diversificada.

São esses os que mais combinam aplicações de renda fixa e ativos de risco.

Geralmente investem em fundos de Hedge, mercado cambial, fundos de investimento, mercado de ações, etc.

Perfil Agressivo

São pessoas que gostam de arriscar alto, eles não se importam com os riscos. Esses investidores buscam muito conhecimento sobre o mecanismo dos investimentos.

Os agressivos são os que menos se importam com o volatilidade do mercado. Esses são os que mais operam por alavancagem, em operações Forex, contratos futuros e mercado de ações.

Diversifique e aprenda

As diferenças entre a renda fixa e renda variável não são sutis, são bem amplas. Avalie o seu perfil de investidor (conservador, moderado ou agressivo) e defina o quanto deseja investir em cada carteira.

Lembre-se que diversificar requer planejamento e dedicação. Independente do seu perfil de investidor não abra mão do conhecimento quanto aos riscos que corre com cada investimento.

Ser um investidor sempre envolverá algum grau de risco, e isso está implícito no ato de investir, mas quanto mais conhecimento você tem sobre o que faz, mais aumenta as suas chances de ser um investidor de sucesso.

Seja por renda variável ou fixa, o mais importante é ter clareza sobre o seus objetivos para que possa fazer as devida análises.

Procure investir dentro de um planejamento prévio para minimizar os erros, e boa sorte com seus investimentos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.