Planejamento financeiro 5: aposentadoria

Uns mais, outros menos. No fundo todos desejam desfrutar de uma boa aposentadoria, após longos anos de trabalho. Nada mais justo, não é? Mas você já começou a planejar a sua aposentadoria?

Se você acha que sua aposentadoria é apenas uma questão de tempo de serviço e contribuição no INSS nós temos uma boa notícia: você pode ir muito além!

De acordo com levantamento realizado pela Mercer neste ano, a pedido da Abrapp, os profissionais se aposentam com renda correspondente a 41% a 80% do último salário (considerando-se a aposentadoria complementar e o benefício recebido do INSS). Para a maioria dos aposentados, metade da renda vem do INSS e metade vem da renda complementar.

Sim, você pode organizar sua vida financeira para fazer investimentos independentemente do tempo de contribuição ou de serviço registrado em carteira. Isso fará toda a diferença lá na frente.

Planejamento financeiro 5 aposentadoria

No post Aposentadoria: previdência privada ou poupança? mostramos as duas formas mais comuns que as pessoas usam para investir dinheiro no longo prazo e formarem a suas aposentadorias. Também explicamos que nenhuma das duas (previdência privada ou poupança) tendem a ser a melhor escolha em termos de rentabilidade no longo prazo. Para quem está se planejando antecipadamente para ter uma aposentadoria listamos outras aplicações financeiras de longo prazo que podem ser melhores alternativas para você, entre elas: o Tesouro Direto, as Ações e os Fundos de Investimento.

Uma vez aposentado, é importante entender que em primeiro lugar deve vir a qualidade de vida e depois a economia (e acúmulo de dinheiro) para manter o patrimônio. Por isso, vale pensar  em metas mais confortáveis que se adaptem ao seu orçamento. Lembre-se que agora você viverá de seus rendimentos (sejam eles de um imóvel alugado ou de uma aplicação financeira), então é preciso saber diversificar sua carteira de investimentos entre curto e médio prazos.

Aliás, prazo é uma palavra importantíssima nessa fase de nossas vidas. Já que estamos “desfrutando” de nossa velhice, teremos mais tempo para viajar, ir às compras, visitar amigos, familiares, e realizar outros sonhos. Por isso é fundamental ter pelo menos um tipo de investimento com liquidez diária e possibilidade de resgate imediato. Liquidez diária também é importante, uma vez que podemos ter imprevistos de todos os tipos, principalmente relacionados à saúde (mesmo que você seja um velhinho saudável).

Alguns especialistas aconselham investir em aplicações com menos risco (e menos agressividade), até porque, ações da bolsa, que são consideradas aplicações de risco maior são recomendadas como investimentos de longo prazo devido à sua grande oscilação. Além disso, os mais velhos não têm tanto tempo para recuperarem eventuais perdas.

Segundo especialistas em finanças pessoais, o percentual de alocação dos investimentos em renda variável pode seguir a seguinte divisão por faixa etária:

  • Até 30 a 35 anos: até 50% em renda variável (perfil agressivo)
  • Entre 36 e 54 anos: 30% em renda variável (perfil moderado)
  • Acima dos 55 anos: 15% em renda variável, tendendo a zero com o passar do tempo (perfil conservador).
  • Além disso, não é recomendável, nessa etapa da vida, contratar planos de capitalização ou previdência para resgatar daqui a 20 ou 30 anos.

Acompanhar a taxa de inflação também é fundamental para garantir a rentabilidade da sua aposentadoria. O pessoal da Infomoney aconselha manter de 5 a 15% de seu patrimônio em aplicações de perfil menos conservador para conseguir rendimentos acima da inflação. “A parcela exata depende do valor acumulado e das fontes alternativas de renda com as quais puder contar ao se aposentar“.

Outra dica importante para o seu planejamento de aposentadoria é considerar ajustar seu orçamento para sua nova realidade. Analise seu padrão de gastos, reduza o que for possível. Poderá haver mudanças como redução de dois carros para apenas um (no caso do casal aposentado), mas ao mesmo tempo pode haver aumento na conta de luz por conta do aumento do consumo, aumento da mensalidade do convênio médico e naturalmente aumento dos gastos relacionados a lazer e turismo.

O importante mesmo é saber que esta fase é para desfrutar! Planejando é possível manter as contas equilibradas e ao mesmo tempo aproveitar ao máximo a aposentadoria de forma saudável. Para finalizar assista ao vídeo:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.